SEJAM
BEM-VINDOS


22 de fev de 2011

Reflexão

"Pensai nas coisas lá do alto, não nas que são aqui da terra."
(Colossenses 3 : 2)
Tire um momento para refletir sobre as mensagens que essas figuras nos passam!!
Que o Espírito Santa direcione nosso coração e nos ajude a entender a mensagem de Deus. Nunca nos esqueçamos que Ele fala conosco até nos acontecimentos mais insignificantes do nosso dia a dia!!










Como descobrir meus dons espirituais??

A palavra do Senhor ensina que somos membros de um só corpo que é a igreja, e que cada um tem um função específica (I Co 12:12-31). Para realizarmos a nossa função no corpo, precisamos saber quais são nossos dons para não entrarmos em áreas que não fomos chamados.
A seguir vão algumas dicas que nos ajudarão nesse assunto tão preciso.

1- O que é Dom Espiritual?
É um carisma(Charisma) recebido como um presente de Deus, com a finalidade de suprir através de seu exercício, as necessidades físicas, materiais, intelectuais e emocionais do corpo e através do corpo; e acima de tudo derramar bênçãos espirituais sobre nós.

Obs.: Não podemos confundir dons espirituais com talentos, nem com frutos do Espírito, nem com cargos na igreja.

2- Diferença entre Dons Espirituais e Talentos
*Talentos: algo que já nascemos com eles.
Exemplo: agilidade com as mãos, desenhar, trabalhar com madeira, couro, tecidos, vendas, comunicação etc.
Obs.: Tanto crentes como não crentes têm talentos.

*Dons Espirituais: algo que vem de Deus e só os cristãos nascidos de novo (quando aceitam o senhor Jesus como salvador) recebem dons espirituais.
Não podemos confundir talento nato nem Dom espiritual com entretenimento, nem um nem outro é absolutamente algo que você aprende. Podemos sim, desenvolver tanto um como o outro, e no caso do Dom, aprender a usá-lo cada vez mais no poder e na dependência do Espírito Santo.
Obs.: Podemos aperfeiçoar o talento e até substituir a ausência deste com muito esforço e treinamento; mas nem treinamento, nem talento produzem ou substituem o Dom Espiritual no corpo de Cristo.

DIFERENÇAS ENTRE DONS E FRUTOS DO ESPÍRITO
DOM - Dons definem aquilo que o crente faz (serviço).
FRUTO - O fruto do Espírito ajuda a definir aquilo que o crente é (caráter).

DOM - Deus fornece os dons para serem exercitados.
FRUTO - Pelo Espírito, Deus produz este amadurecer com a cooperação do crente.

DOM- Ele quer trabalhar através de nós.
FRUTO - Ele quer trabalhar em nós, renovando a imagem de seu filho (Rm 8:28).

Clique no link a baixo e faça um teste on-line que irá te ajudar à conhecer quais são o seus Dons Espirituais!!
Deus te abençoe!!!

18 de fev de 2011

Estudo sobre a Travessia do Mar Vermelho!!

Confira nesse vídeo fatos que comprovam que a travessia do Mar Vermelho não é invenção!! Veja imagens e tire suas dúvidas!!
Muito interesante!!

17 de fev de 2011

Matando a Curiosidade

Você já se perguntou PORQUE DEUS DEIXA QUE SATÁNAS VIVA?? Se for já se questionou por isso, ou se você tem curiosidade em saber o porquê Deus já não acabou com o inimigo assita esse vídeo!!

Nem sempre Deus abre o mar vermelho


Os egípcios estavam perseguindo o povo de Israel, que fugira do Egito. Seguindo as instruções de Moisés, o povo, de repente, depara com o Mar Vermelho. E agora? Atrás, os egípicios, à frente, o mar, em redor, montanhas e deserto. O povo clamou ao Senhor, e Ele abriu o mar, por onde fugiram.

Quantas vezes nos deparamos com situações semelhantes, onde parece não haver nenhuma fuga possível. Clamamos ao Senhor e o Mar Vermelho continua fechado, impedindo-nos de escapar.
Será que Deus mudou? Não, Deus é o mesmo Deus; Ele apenas não abre sempre o Mar Vermelho. Há vezes em que esse é o caminho de salvação que Ele nos preparou; outras vezes, Ele não abrirá o mar e permitirá que soframos. Deus não abriu o Mar Vermelho para Jó nem para Jacó; tampouco abriu para Estêvão. Pelo contrário, a salvação deles estava justamente em permanecer no sofrimento, onde puderam ser transformados e libertados por Deus.


Precisamos confiar, não no Mar Vermelho que se abre, mas no Senhor que nos conduz pelo deserto. Ele é quem nos levará à boa terra pelo caminho que Ele mesmo escolher.

15 de fev de 2011

Reflexão: Deixando O Mundo Do Lado De Fora


Que lugar tem ocupado o mundo em nossa vida? O lado externo ou interno? Temos, como cristãos, repelido todas as armadilhas que o mundo oferece, por mais brilhantes e sedutoras que sejam? Temos compreendido que o nosso testemunho precisa glorificar, em todos os aspectos, o nome do Senhor?

Muitas vezes cedemos às tentações crendo que o nosso “pecadinho” não terá nenhuma influência em nossa vida espiritual. Cremos dessa forma e estamos completamente enganados. Um grande afastamento de Deus começa por um pequeno passo a poucos centímetros dEle! E quanto mais longe estamos do Senhor, mais difícil se torna o regresso à
Sua presença onde existe amor, carinho e todas as bênçãos de que necessitamos para uma vida abundante, feliz e eterna.

Quando um navio começa a afundar? Quando tem alguns centímetros de água em seu interior. Quando um cristão começa a afundar espiritualmente? Quando um pequeno pecado se instala em seu coração.
Se o comandante obtém sucesso em deter a entrada de água logo no início, o navio se salva. Se o cristão rejeita o pecado logo que ele tenta encontrar espaço em sua vida, a porta é fechada e ele segue firme glorificando e engrandecendo o nome do Senhor Jesus.

Você pode viver no mundo, mas não deixe ele viver em você!!

Compreendendo Romanos 8:28-29


Essa é uma das passagens bíblicas mais incompreendidas e erroneamente citadas. Ela não diz: “Deus faz tudo que saia da forma que eu quero”. É lógico que isso não pode ser verdade. Também não diz: “Deus faz tudo que na terra acabe com um final feliz”. Isso também não é verdade. Existem muitos finais infelizes sobre a terra. Vivemos em um mundo caído. Somente no céu tudo é perfeito, da forma que Deus quer. É por isso que temos que orar: “Seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu.” Para compreender inteiramente Romanos 8. 28,29, você deve examinar frase por frase:

“Sabemos...” Nossa esperança em tempos difíceis não é fundamentada em pensamentos positivos, em anseios ou em um otimismo natural. É uma certeza que se baseia na verdade de que Deus tem pleno controle do Universo e ama todos nós.

“..que Deus age...” Há um Grande Projetista por trás de tudo. Nossa vida não é resultado de um acaso fortuito, destino ou sorte. Existe um plano-mestre. A história pertence a Deus. É Deus quem controla o leme. Nós cometemos erros, mas Deus jamais. Deus não pode cometer um erro – porque ele é Deus.

“...em todas as coisas...” O plano de Deus para nossa vida envolve tudo que nos acontece – erros, pecados e mágoas. Ele inclui doenças, dívidas, acontecimentos infelizes, divórcio e a morte de pessoas queridas. Deus pode fazer o bem aflorar da pior perversidade. Ele fez isso no Calvário. Não de forma isolada ou independente; os fatos de sua vida agem em conjunto, conforme o plano de Deus. Não são atos isolados, mas partes interdependentes do processo que o tornarão semelhante a Cristo. Para fazer um bolo, você utiliza farinha, sal, ovos crus, açúcar e óleo. Comidos isoladamente, cada ingrediente é bastante desagradável ou mesmo amargo. Mas asse-os juntos, e se tornarão deliciosos. Se você der a Deus todas as suas experiências horríveis e desagradáveis, ele as misturará para que se tornem agradáveis.

“...para o bem...” Isso não quer dizer que tudo na vida seja bom. Grande parte do que acontece no nosso mundo é mau e cruel, mas Deus é especialista em extrair o bem de tudo isso. Na genealogia oficial de Jesus Cristo, existem quatro mulheres listadas: Tamar, Raabe, Rute e Bate-Seba. Tamar seduziu seu sogro para engravidar. Raabe era prostituta. Rute nem mesmo era judia, e infrigiu a lei casando com um judeu. Bate-Seba cometeu adultério com Davi, o que acabou causando o assassinato do marido. Não são exatamente reputações excelentes, mas Deus fez que o bem resultasse do mal, e Jesus veio através dessa linhagem. O propósito de Deus é maior que nossos problemas, nosso sofrimento e até mesmo nossos pecados.

“...daqueles que o amam e são chamados...” Essa promessa é somente para os filhos de Deus, não para todos. Todas as coisas contribuem para o mal daqueles que vivem em oposição a Deus, insistindo em seguir o próprio caminho.

“...de acordo com o seu propósito...” Que propósito é esse? É que sejamos “iguais a seu Filho”. Tudo que Deus deixa acontecer na nossa vida é permitido por causa desse propósito!
Texto extraído do livro: “Uma vida com propósitos”, Rick Warren

11 de fev de 2011

Estudo para reflexão e análise de sua vida!!


A vida na juventude tem sido muito difícil para muitos jovens. O mundo de hoje oferece muitas atrações e facilmente os jovens são arrastados pela "onda"d o Diabo, onde os principais pontos de atração são: O sexo, as drogas, a música, etc. "ANALISANDO A VIDA DE SAUL, VAMOS ANALISAR OS PONTOS POSITIVOS E NEGATIVOS NA VIDA DE UM JOVEM CRENTE":

I - PONTOS NEGATIVOS
1. Não reconhecer o profeta que era o representante de Deus, 1 Sm 13.8-14.
2. Desobediência ao Senhor, 1 Sm 15.1-8.
3. Sua perda de comunhão com Deus, 1 Sm 14.36-37.

II - PONTOS POSITIVOS
1. Coragem. Saul foi um verdadeiro guerreiro. Isto ficou comprovado em duas guerras:
a. Guerra contra os Filisteus, 1 Sm 13-14.
b. Guerra contra outras nações, 1 Sm 14.47, 48.
2. Foi cheio do Espírito de Deus, 1 Sm 10.1-16. Ver e se deter no Vs. 6. Ver também Ef 5.18.
3. Era humilde, 1 Sm 9.17-21.
4. Era pacífico, 1 Sm 10.24-27.

Para você refletir!!!
1. **Quais os pontos negativos que você possui?
**Você é capaz de entregá-los ao Senhor para que sua vida seja mudada?
2. **Quais os pontos positivos que precisam ser melhorados em sua vida?
**Você possui algum ponto positivo?

DEUS ABENÇÕE A SUA VIDA!!

Inicío da derrota da Teoria Evolutiva do Homem?????


DENTES ENCONTRADOS EM ISRAEL PODEM FALSIFICAR EVOLUÇÃO HUMANA COMO NOS TEM SIDO VENDIDA
11/01/2011


Uma equipa de cientistas da Universidade de Telavive descobriu numa gruta em Israel fósseis que parecem ser do Homem moderno, mas que estão em camadas de terra com idade entre os 400 e 200 mil anos – mais antigas do que o nascimento dos antepassados diretos do Homem. A descoberta deixou a comunidade científica em alvoroço.

A história da evolução humana é resumida assim: pensa-se que o Homem Moderno evoluiu há 200 mil anos, na África, tendo depois migrado para o resto do mundo, substituindo os humanos que existiam em cada local.

O autor do artigo diz que os dentes possuem tanto características de Neandertais como de Homo sapiens. Mas se estes dentes forem do Homo sapiens, isso significa que toda a história da evolução humana como nos tem sido contada nos últimos anos, todos os dados e descobertas feitas para alimentar esta visão, não passam de banha de cobra.

O líder do grupo, Avi Gopher, parece o mais apreensivo com a sua descoberta: “É preciso sermos cuidadosos, não podemos atirar para o lixo um paradigma só por causa de alguns dentes“. Esta afirmação não deixa de ser curiosa, já que outros elos perdidos foram inventados apenas a partir de dentes.

Os dados foram publicados no The American Journal of Physical Anthropology.
_____________________________________________________________________________

A Nature perguntou ao investigador se estes dentes realmente ofereciam evidência de que o Homo sapiens não evoluiu na África. Ele respondeu: “O que eu posso dizer é que eles deixam todas as hipóteses em aberto. Há uma tendência das pessoas a se acostumarem à hipótese “Fora de África”, utilizando-a exclusivamente e explicando todas as descobertas que não encaixam nela como novas ondas de migração para fora de África“.

O que ele está a dizer é que os evolucionistas são pródigos em descartar os dados que não encaixam nos seus paradigmas pré-estabelecidos. Nada que nós já não soubéssemos.

Se eu tivesse de apostar, diria que tudo vai ser feito para que esta descoberta seja minimizada e descartada. É mais fácil dizer que os dentes, que têm tudo para terem pertencido ao Homo sapiens, pertencem a uma espécie diferente, de modo a não atrapalhar a linha de tempo evolucionista. Você á imaginou o que era ter de reconstruir toda a narrativa, toda a linha de tempo evolutiva? E como se explicariam os milhares de “estudos” que há uns anos a esta parte têm sido usados para alimentar a visão do “Fora de África”? Vai-se admitir que foi tempo e dinheiro perdido? É mais fácil e barato descartar novamente uma evidência contra (sim, novamente! Já aconteceu).

Os evolucionistas estão com muito medo das pressões que podem vim de todo o lado em direção à equipa de paleoantropólogos liderada por Avi Gopher.
É por isso que a Teoria da evolução não merece credibilidade. Uns simples dentes facilmente mostram que todas as histórias inventadas e que subsistiram por longos anos ou décadas não passam de pura fantasia e propaganda naturalista. Por sua vez, os criacionistas bíblicos não precisam de todos os anos para alterar as suas convicções a respeito da verdadeira origem das espécies.

10 de fev de 2011

Questionando Deus

Quando Paulo (Saulo) estava em Damasco, um homem fora designado por Deus para orar por ele, impor as mãos, para que fosse curado da cegueira temporária, fruto do seu encontro espetacular com o Senhor Jesus Cristo. (Atos 9.10-16).


Vamos refletir sobre a atitude destes dois homens: Ananias e Paulo.
É incrível o que a postura dos dois tem a nos ensinar. Ananias questionou a Deus, quando recebeu a missão de orar e impor as mãos sobre a cabeça do maior inimigo dos cristãos da época.
Imagine só: Deus fala com você e manda que ore e interceda pelo seu maior inimigo. Não parece absurdo? Vamos ver algumas conclusões interessantes:

I) ANANIAS QUESTIONOU PORQUE ELE NÃO TINHA O ENTENDIMENTO DE DEUS.
Muitas vezes em nossa caminhada com Cristo, questionamos o direcionamento do Senhor, por não "entendermos Deus". O problema é que Deus não existe para ser entendido. Ele não precisa explicar-se para o homem. Fico muito feliz por ter aprendido isso e gostaria que você aprendesse isso também. Pare de tentar entender Deus! Fica mais difícil para você, para Ele e para todo mundo. Fica difícil para Ele também. Não dificulte as coisas para Deus! Na Bíblia, vemos diversos homens de Deus que foram usados por Ele, mas tinham sempre que questioná-Lo.
Moisés: esse cansou Deus de tanto dar desculpas para não fazer o que Deus havia determinado para ele, antes mesmo do seu nascimento.
- Eu não sei falar direito - disse o pastor de ovelhas. Não vão acreditar em mim. Quem me enviou?
Deus parece ter perdido a paciência com Moisés. E quantas vezes Ele ficou impaciente comigo?? E com você?? Já parou para pensar nisso?
Jeremias: esse também. Vivia dizendo que não conseguiria realizar a obra profética por falta de idade suficiente e experiência.
Guarde isso, amado (a): Experiência não pressupõe competência! Deus pode chamar uma pessoas completamente inexperiente e capacitá-la para ser um competente servo dEle!

II) ANANIAS QUESTIONOU A DEUS POR NÃO TER A VISÃO DE DEUS.
Graças a Deus somos falíveis! Enquanto o país inteiro se prepara para receber um homem dito "infalível", eu agradeço a Deus por sermos falhos.
E nossas falhas só existem por não termos a visão que Deus tem. Deus sempre vai ver as coisas do alto, de cima. Seu ponto de vista sempre será superior. Até mesmo o rico, da parábola do rico e Lázaro, não tinha uma visão superior por estar numa posição inferior.
Ananias só conseguia ver obstáculos e perigo nesta missão.
Muitas vezes, somos impelidos a somente ver dificuldades, obstáculos e problemas no caminho que Deus coloca a nossa frente.
Mas, pense comigo: Se Deus vai comigo, não importa o caminho, o mais importante é a companhia.

III) ANANIAS QUESTIONOU A DEUS POR NÃO CONFIAR NO QUE DEUS ESTAVA FAZENDO.
Quantas vezes nós não confiamos no controle de Deus sobre todas as situações....
Talvez esta seja a grande crise do nosso século. Deus tem sido manipulado para que as pessoas não aceitem o sofrimento como algo vindo da parte de Deus.
O sofrimento faz parte do processo que Deus usa para moldar nosso caráter, nossa fé e nossa maneira de ver as coisas. Mas quem quer pregar isso? Ninguém. Sabe por que? Porque não dá "ibope"... Ninguém vai querer te ouvir.
Glória a Deus! Ele também permite aflições na vida do justo!
Deus não perdeu o controle das situações.
Enquanto Ananias questionava, Paulo somente aguardava o momento certo para começar a grande obra que Deus tinha para sua vida.
Um dos maiores evangelistas, o maior teólogo do Novo Testamento, o maior contribuinte para o desenvolvimento da Igreja nascente. Deus escolheu a dedo este homem. Imagine se a sua atitude fosse a mesma de Ananias.
Paulo não questionou, apenas creu!
Faça como Paulo, CREIA SEM QUESTIONAMENTOS! isso é difícil, mas temos que tentar....
Que Deus nos ajude a sermos mais paulinos na nossa caminhada e menos "ananinos".

7 de fev de 2011

Vídeo para reflexão!!!

Vale a pena ver esse vídeo e refletir sobre esse amor!!!


Você pode contar com esse amor!!!
Deus te abençõe!!!!

2 de fev de 2011

O desafio de uma geração conectada

Vivemos em um dos períodos mais fascinantes da história da humanidade. Nunca houve na história um momento onde o mundo esteve tão aberto e acessível para quem quer que seja. Os níveis de tecnologia alcançados poderiam até ser esperados e sonhados, mas de forma alguma com tamanha acessibilidade e popularidade. De dentro de nossas casas podemos conhecer e viajar por todo o mundo em tempo real, em ângulos diferentes e até falar abertamente com pessoas de idiomas e culturas nunca imaginados.

Não estar conectado nesta geração é praticamente impossível. É dessa maneira que esta geração tem aprendido a viver, conectados. A Geração Milênio (nascidos a partir de 1980) não sabe ser ou viver longe de alguma conexão. Ficar sem o celular, internet ou televisão é um martírio, uma crise de identidade, um lapso de personalidade. A comunicabilidade em muitas situações deixou de ser uma ferramenta de informação para tornar-se um vício. Todos estão “na REDE”, de uma maneira ou de outra.

Diante desse quadro, como desafiar esta geração a viver bem os desígnios de Deus? Se vivemos neste tempo, é porque Deus nos chamou para sermos sal e luz aqui, neste contexto, nestas circunstâncias. E nosso referencial para viver bem e superar os desafios de nossa época continua sendo e sempre será a maneira como Jesus viveu. Olhando para Jesus, podemos encontrar algumas orientações para este desafio de Conexões.

Jesus foi um homem intensamente conectado com seu tempo e com as pessoas da sua época. Relacionava-se com todos os tipos, todas as classes, todas as posições sociais, de todas as formas e maneiras. Jesus estava sempre envolvido em uma grande rede de relacionamentos, sempre conectado com o mundo à sua volta.

Entre tantas conexões, poderíamos destacar quatro grupos nas relações de Jesus: A multidão, os fariseus, os discípulos, e os enfermos e necessitados.
*A multidão sempre o acompanhava para ouvir palavras de esperança e ver milagres acontecerem, mas as pessoas deste grupo não se comprometeram com Jesus a ponto de mudarem de vida.

*Os fariseus consideravam Jesus um rival religioso, uma ameaça à religião pura, e por isso tramavam sempre contra ele, tentando derrubá-lo.

*Os discípulos foram escolhidos a dedo, um a um; eram pessoas simples, sem grandes habilidades, mas que desfrutaram por três anos da intimidade do mestre e com ele aprenderam a viver.

*Já os enfermos e necessitados eram pessoas desprezadas, rejeitadas, que encontravam em Jesus esperança e cura; alguns tornavam-se discípulos depois desses milagres, outros recomeçavam a vida à sua maneira.

Se analisarmos nossas vidas hoje, não encontraremos estes mesmos tipos de relacionamentos? Pessoas que vem e vão; pessoas que tentam nos derrubar; pessoas que são marcadas e influenciadas pelo relacionamento conosco; e até pessoas que necessitam de compaixão e afeto.

A maneira como Jesus encarou e vivenciou as experiências com estes grupos nos ensina sobre como também devemos agir em nossa rede de relacionamentos. Jesus nunca rejeitou a multidão; Ele lhes deu pão e peixe na multiplicação, nunca negou uma conversa, mesmo sabendo que eles não ficariam. Aos fariseus Jesus dava respostas que revelavam a verdade sobre as suas vidas, mas também lhes davam a oportunidade de mudança; Ele queria transformá-los pela verdade. Quanto aos discípulos, Jesus investiu muito neles, confiando-lhes o ide, a continuidade, a missão de proclamar as boas novas da salvação a toda terra. E aos necessitados e enfermos ele curou, sarou, libertou, não pela condicional de se tornarem seus discípulos, mas porque era cheio de compaixão e solidariedade.

Apesar das diferenças ao lidar com cada grupo, uma coisa era comum em todos os casos:
a personalidade e a convicção de Jesus em estar fazendo a vontade de Deus. Cristo sempre foi o mesmo, independente de quem estava diante dele.

Hoje Jesus estaria utilizando os celulares, a internet, os meios de comunicação e outros recursos para compartilhar sua abundante vida, mas com certeza nada disto mexeria com a sua identidade e com a sua missão. Ele era conectado sim com o seu mundo, mas nenhuma conexão era mais forte que a conexão de Jesus com o Pai e com o Espírito Santo. A convicção de Jesus Cristo sobre a sua identidade e sua missão era tão profunda que nenhuma conexão seria capaz de influenciá-lo ou confundi-lo.

Esse é o ponto! Esse é o desafio para nossa geração! Para onde as conexões de hoje nos têm levado? Será que a identidade de nossos jovens e adolescentes, a geração milênio, se esconde atrás de um computador ou de um celular?! Se assim for, a juventude de nossos dias não passa de reféns dominados e seduzidos por um senhor mau e exigente.

Mas, se apesar das conexões inevitáveis com multidão, fariseus, doentes e discípulos, formos capazes de ajudá-los a construir uma identidade forte e uma consciência de missão profunda, então as conexões serão pontes de libertação, bênção e conhecimento da verdade.

Os relacionamentos, independente do grupo com quem se convive, devem reproduzir a maneira como Jesus se relacionava: portas abertas, confronto visando liberdade, discipulado, cura, através da consciência de identidade e missão. Esse é o grande desafio para esta geração: GERAÇÃO CONECTADA.

Felicidade


"Felicidade foi embora e a saudade no meu peito..." Essa música, bem conhecida, trata a felicidade como algo ou alguém que partiu, deixando recordações, dor, tristeza, um sentimento de perda que pode trazer a melancolia, a depressão, um sentimento que foge ao controle.

Mas o que é felicidade? Aurélio nos ajuda a defini-la como "êxito, sucesso, satisfação pessoal ou do outro. Algo que ocorre, uma circunstância ou situação". Vemos que muitas vezes o êxito e o sucesso chegam, mas logo se despedem entoando essa música; entretanto, a satisfação pessoal que permanece é de dentro para fora, promovendo a realização do ser. C S. Lewis afirmou que "felicidade é fazer a vontade de Deus"; outros dizem que felicidade é ter muito dinheiro, casa, mulheres, fama, um bom casamento, filhos exemplares etc., muitas vezes é na felicidade do outro que escondemos a nossa insatisfação.

Há pessoas que, mesmo vivendo em pobreza, se dizem felizes; outras que desfrutam de riquezas, mas se declaram amarguradas. Nesse ponto concluímos ressaltando que a felicidade não está em objetos ou circunstâncias. Buscar a felicidade em coisas externas é sinal de vazio interior.

A felicidade permanente reflete o início de uma realização espiritual, interior, que independe de causas externas, alegrias momentâneas, sonhos frustrados... que um dia "foram ou irão embora", deixando vazios, culpas, ressentimentos, amargura e marcas que muitas vezes ofuscam o futuro.

A felicidade encontra-se no coração perdoador, que ama, que não mais se fecha com sua dor, mas que se abre, se expõe para si e para o outro, restaurado pelo amor suficiente de Deus. Nada substitui essa felicidade, que nos dá estrutura para enfrentar e suportar as tristezas. Quando estamos felizes é porque realizamos algo, mas quando somos felizes é porque algo se realizou em nosso interior, tornando-nos pessoas realizadas e satisfeitas.

Há três percursos à felicidade: Quando Deus expõe as minhas dores para tratar, quando exponho minha restauração a outros, e quando outros se envolvem com minha alegria para encontrar a deles.

Uma vida com sentido é o que dá sentido a vida. Madre Tereza disse certa vez: "mesmo que seja uma gota d’água no oceano, se deixarmos de fazer, um dia fará falta para sempre". Há uma realização na felicidade, um propósito de ser e, nesse vínculo, a vida abundante.

Assim, a felicidade faz parte daqueles que caminham com o Senhor. É um apoio seguro, que consola o triste; ao desanimado dá esperança; ao amargurado, refrigério; àquele que nada é, um valor inestimável em apenas ser; ao desmotivado, o prazer em servir e ao fraco... forças para que chegue ao final – vitorioso e feliz!